Ajude a manter o blog. Faça sua contribuição de qualquer valor clicando no botão abaixo.

PALESTRAS E ENCONTROS

Sua paróquia ou sua comunidade precisa de formação, fale com seu pároco e entre em contato pelo e-mail: carloscasabela@hotmail.com .



segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

COMO JESUS LÊ A BÍBLIA



UM MOMENTO DE CONFUSÃO
Você conhece a história de Emaús? Leia em Lc 24,13-24 e descubra: quem são os personagens? Qual a imagem que os discípulos tinham de Jesus? Qual era o motivo da desilusão?
Na época de Jesus, o povo estava se sentindo muito abandonado. Muitos esperavam que Deus ouvisse seu clamor e viesse chamar o povo para uma nova Aliança.
Apareceu Jesus, que contava parábolas, curava doentes, expulsava demônios. Os poderosos se sentiam fracos e questionados perto de Jesus. Os humildes se sentiam corajosos ao lado dele. Muitos se tornaram discípulos.
Não seria ele o libertador esperado em Israel? Por causa dessa suspeita, os poderosos condenaram Jesus à cruz, como faziam com todos os seus adversários.
A cruz causou uma enorme desilusão nos discípulos. Pensavam que ele fosse um profeta, o libertador de Israel! Como continuar com o Reino de Deus se podiam acabar na cruz com Jesus? Tudo parecia perdido...

UM MOMENTO DE REFLEXÃO
Agora, vamos ler Lc 24,25-27. Como Jesus leu a Bíblia?
A história do povo da Bíblia ajudava a entender o mistério da cruz. Mas, para entender isso, era preciso encontrar a mensagem central.
Quando Jesus leu a Bíblia “começando por Moisés e continuando por todos os profetas”, fez uma leitura global da Bíblia Olhou o conjunto e tirou o principal da história.
Ele também “explicava as passagens da Escritura que falavam a respeito dele”. Isto é, selecionou textos que clareavam a cegueira dos discípulos naquele momento.
Jesus uniu as duas formas de ler:
· a leitura global, fiel a mensagem central;
· e a leitura de textos selecionados para aquele momento.
Fez como a abelha, que descobre o campo florido e vai de flor em flor em busca do néctar:
A Bíblia é este campo. Temos que ir de texto em texto para saborear a Palavra.

O MOMENTO DA DESCOBERTA
Leia Lc 24,28-35 e reflita:
· Como o partir do pão abriu os olhos dos discípulos?
· No fim da história, para onde os discípulos foram?
Por que mudaram de idéia?
Naquela época, comer com um pecador ou impuro fazia a gente se tornar pecador, também. Po isso, só os “perfeitos” eram acolhidos. Os pobres, estrangeiros, doentes e pecadores eram desprezados.
Jesus “fingiu que ia mais adiante” para provocar uma atitude de acolhida por parte dos discípulos. E eles não decepcionaram! Acolheram aquele estranho sem medo de comer com ele.
Quando Jesus partiu o pão na frente deles, tudo passou a fazer sentido. Clareou a cegueira e eles viram que Jesus estava vivo! Só quem acreditava no projeto do Reino e partilhava o pão com um estranho era capaz de enxergar o Ressuscitado.
Não adiantava só falar dos problemas sem pensar na solução. Nem só ler a Bíblia sem ligá-la com a vida.
A gente descobre o Ressuscitado quando aceita a cruz e continua o projeto do Reino, partilhando o pão sem desanimar.

A PEDAGOGIA BÍBLICA DE JESUS
A história dos discípulos de Emaús é um manual para os catequistas de ontem e de hoje. Ela nos ensina a ler a Bíblia a partir da realidade dos catequizandos.
Vamos ver passo a passo a pedagogia bíblica de Jesus:
PRIMEIRO PASSO: A CONVIVÊNCIA.
Caminhar com os catequizandos. Jesus não chega com arrogância, criticando ou elogiando seus discípulos. Simplesmente caminha ao lado, acompanhando o ritmo dos passos deles e observando.
Ouvir os catequizandos. Depois de caminhar com eles um bom tempo, Jesus entra na conversa. Não impõe um assunto seu, simplesmente entra no assunto deles, ouvindo com toda a atenção.
SEGUNDO PASSO: A PALAVRA
Questionar os catequizandos. Quando fica bem ao par da conversa, Jesus da seu parecer. Apresenta com firmeza seu ponto de vista, sempre a partir das Escrituras. Seu objetivo não é defender idéias, mas sim clarear o caminho dos discípulos para que encontrem a Vida. Ele não deixa os discípulos perdidos na escuridão.
TERCEIRO PASSO: A MISSÃO
Provocar os catequizandos. Jesus faz uma catequese dinâmica e interativa. Não só fala a respeito das Escrituras, como também provoca os discípulos a agir de acordo com ela. Chama-os a praticar a solidariedade que a Bíblia ensina de ponta a ponta.
QUARTO PASSO: A PARTILHA
Partilhar o pão com os catequizandos. O pão partilhado seria para sempre o sinal da chegada do Reino. Partilhar é realizar a igualdade entre nós. A catequese de Jesus não para no anúncio da Palavra, mas concretiza essa Palavra no dia-a-dia dos discípulos.
Desaparecer. Jesus deixa os discípulos para que sigam seus caminhos. Também o catequista deve “desaparecer” qundo os catequizandos estão maduros para seguirem os próprios caminhos.

LENDO A BÍBLIA A PARTIR DA VIDA
Parece fácil ler a Bíblia partindo da realidade do catequizando. Mas não é fácil, não. Exige:
· caminhar com o catequizando, conhecer seu dia-a-dia;
· sentir na pele suas alegrias e tristezas;
· ouvir suas idéias, conversar com franqueza;
· saber quando apoiá-los e quando questioná-los;
· provocá-los para assumirem na vida os desafios da Palavra;
· partilhar com eles o pão da Palavra e da Eucaristia;
· devolver-lhes progressivamente a voz e a vez, na família, na comunidade e na sociedade.
Fonte: Folheto Ecoando 8 - formação interativa de catequistas - Editora Paulus

Nenhum comentário: