Ajude a manter o blog. Faça sua contribuição de qualquer valor clicando no botão abaixo.

PALESTRAS E ENCONTROS

Sua paróquia ou sua comunidade precisa de formação, fale com seu pároco e entre em contato pelo e-mail: carloscasabela@hotmail.com .



terça-feira, 9 de junho de 2009

O CONTEXTO DO NOVO TESTAMENTO

BÍBLIA: ÁLBUM DE FOTOGRAFIA
Os textos do Novo Testamento são como fotos que os primeiros cristãos tiraram de suas comunidades. Por trás de cada texto, há uma história de pessoas reais, que vivenciaram a descoberta do Reino de Deus e seguiram Jesus, muitas até o martírio.
As fotos mostram as pessoas como elas são: com seus defeitos e qualidades, com sua beleza e feiúra. Assim também os textos bíblicos mostram o povo de Deus com suas qualidades e defeitos, no esforço de concretizar o Reino de Deus na terra.
As fotos também não mostram tudo. Elas recortam a realidade, colocam uma moldura nas situações que retratam. Todo bom fotógrafo enquadra bem o tema que deseja registrar. Alguns conseguem, com computador, tirar uma pessoa que antes estava na foto e a gente nem percebe!
Os escritores bíblicos enquadraram as situações que desejam retratar. Alguns o faziam com simplicidade, outros tinham recursos mais avançados e recriavam a realidade retratada, como o fotógrafo.
Com o tempo, as comunidades foram organizando suas fotos em álbuns, de acordo com o assunto. A gente guarda fotos de casamento num álbum, mais ou menos na ordem em que foram tiradas. Em outro álbum, colocamos as fotos do batizado das crianças... e assim por diante.
O álbum da Bíblia se chama cânon. Um texto canônico é como uma foto incluída no álbum do povo de Deus.

NT: TESTEMUNHO DAS PRIMEIRAS COMUNIDADES
Os livros do NT são coleções de fotos muito antigas. Alguns mostram apenas o lado bonito e bem-sucedido das comunidades, como certo álbuns de casamento, onde todo mundo aparece feliz e bem vestido (At 4,32-37). Outros são fortes e chocantes, como reportagens que mostram o lado difícil da realidade humana (Mc 14,43-49).
Numa foto não aparecem apenas pessoas. Aparecem roupas, ambientes, paisagens, móveis... Também podemos distinguir, pela posição das pessoas, o que estão fazendo e o que significam suas atitudes. Por meio de todos esses elementos, compreendemos melhor a história que a foto conta.
Os livros do NT nos mostram a Palavra de Deus, não apenas porque falam de Jesus e dos apóstolos, mas também pelas situações apresentadas. É importante compreender os pequenos detalhes das fotos bíblicas, pois a Palavra de Deus está nas pequenas coisas da vida.
Para captar esses detalhes, é preciso aprender a suspeitar do que aparece à primeira vista. É preciso ligar o suspeitômetro, que nos ajuda a descobrir o que está por detrás das palavras.

O CENÁRIO DO NOVO TEXTAMENTO
1- CONTEXTO POLÍTICO: a dominação romana
Os romanos dominavam Israel de 63 a.C. a 135 d.C..
Freqüentemente explodiam revoltas populares contra a dominação romana e a elite das cidades. A repressão era cruel. Os romanos escravizavam os povos rebeldes e crucificavam os líderes. A morte na cruz era o grande sinal de maldição, humilhação e rejeição por parte dos dominantes. Até a simples lembrança do nome de um crucificado era considerado crime.

2- CONTEXTO ECONÔMICO: exploração dos pequenos
Os romanos cobravam impostos das elites de cada cidade. As elite, por sua vez, corriam atrás do prejuízo, cobrando impostos ainda mais altos do povo do campo.
Os poderosos, apoiados pelos romanos, se apoderavam das terras dos pequenos e jogavam famílias na miséria. Muitas iam parar na periferia das cidades grandes, onde faziam bicos para viver.

3- CONTEXTO SOCIAL: exclusão dos fracos
Na cultura judaica, a importância da pessoa dependia do sexo, idade e raça. Só o homem adulto, judeu de raça e fé, tinha valor social. As crianças (especialmente as meninas), os doentes, as viúvas, as prostitutas, os leprosos, todos esses não tinham direitos. Eram excluídos da vida social, política e religiosa.

4- CONTEXTO RELIGIOSO: santidade e retribuição
O objetivo da religião judaica era a santificação do povo, pelos caminhos da pureza e da Lei.
Pureza era sinônimo saúde e higiene. Era considera impuro quem ficasse doente ou tocasse sangue, doentes e cadáveres e líqüidos corporais. Mas não bastava um simples banho para purificar! Eram exigidas ofertas e dízimos para o Templo de Jerusalém.
Por outro lado, era preciso seguir fielmente às mínimas exigências da lei judaica. Para muitos líderes religiosos, o mais importante não era a justiça, mas o cumprimento rigoroso da lei.
O povo simples, que não tinha dinheiro para se purificar nem conseguia obedecer às centenas de leis da tradição, acabava se sentindo pecador e indigno do amor de Deus.

MUDANÇAS DE CENÁRIO
Vocês já viram as dunas do deserto? Dunas são morros de areia que o vento carrega de um lado para o outro. Num dia, o morro está aqui. No outro dia, aparece lá adiante. A cada manhã a paisagem está diferente e nunca se sabe como será no dia seguinte.
A história é como esse deserto. A política, a economia e os outros aspectos da sociedade mudam constantemente. Não de um dia para outro, como as dunas, mas por períodos. De um ano para outro as coisas mudam. Em uma década, mudam bastante. Em um milênio, então!...
Durante os anos em que o NT foi escrito, muitas coisas no contexto histórico mudaram. Por isso, é importante que o catequista se aprofunde cada vez mais na história daquela época. Livros, jornais, apostilas, vídeos e palestras ajudam a enriquecer nosso banco de dados sobre aquela época e, assim, nos tornamos sempre mais capazes de compreender profundamente a Palavra de Deus contida no NT.

Fonte: Folheto Ecoando 9- formação interativa com catequistas - Editora Paulus

Nenhum comentário: