Ajude a manter o blog. Faça sua contribuição de qualquer valor clicando no botão abaixo.

PALESTRAS E ENCONTROS

Sua paróquia ou sua comunidade precisa de formação, fale com seu pároco e entre em contato pelo e-mail: carloscasabela@hotmail.com .



sexta-feira, 28 de novembro de 2008

BÍBLIA: DEUS NA HISTÓRIA DO POVO



Todo mundo sabe como é amizade. Pessoas se conhecem, vão se aproximando devagarinho. Compartilham momentos, crescem na intimidade. Passam por desentendimentos e reconciliações, crescendo sempre mais no amor.
O amor entre Deus e seu povo se parece muito com o amor de marido e mulher (Os 2,21-22; Ct 8,6). É um encontro que vai se aprofundando entre encontros e desencontros.
Vamos ver como a história do povo de Deus foi acontecendo através do tempo. Uma plantinha não cresce da noite para o dia. Assim, também, nosso relacionamento com Deus vai crescendo devagarinho, quando a gente se dedica e abre espaço para Ele.

LINHA DO TEMPO
ANTIGO TESTAMENTO



1800 a.C.: OS PATRIARCAS COMEÇAM UMA NOVA HISTÓRIA
As coisas andavam difíceis na Mesopotâmia, terra de Abraão e Sara. Os altos impostos geravam desigualdade e violência. A religião do país ensinava o povo a se conformar com a opressão. Cada família tinha seus deuses particulares.
Nessa época, o Deus Vivo se apresentou a Abraão e Sara. Ele os chamou para um grande projeto: formar o povo de Deus, que daria a todos os povos do mundo um testemunho de justiça e fraternidade. Para isso, o Deus Vivo lhes concedeu terra e filhos, os maiores tesouros para uma família (Gn 12,1-3). Abraão e Sara abandonaram os deuses para servir ao Deus Vivo e saíram de sua terra em busca de uma vida melhor em Canaã.
A certeza que guiava essa família era a fé no deus Vivo. Abraão e Sara simbolizavam as inúmeras famílias que confiaram no Deus Vivo e buscaram uma vida nova, longe da injustiça e da desigualdade.

1250 a.C.: ÊXODO – DEUS ESTÁ COM SEU POVO
Os hebreus, no Egito, eram obrigados a trabalhar de graça para o Faraó (Ex 1,11). A opressão não tinha limites. Javé, o Deus Vivo, foi fiel à promessa feita a Abraão e socorreu o seu povo (Ex 3,7-8).
Moisés liderou o povo na saída do Egito, chamada de êxodo. A festa que comemora, até hoje, a saída dos hebreus pela mão de Javé é a Páscoa. “Javé” quer dizer: “Eu Sou”, “Eu estou com vocês”.
Com Moisés, os hebreus saíram em busca da Terra Prometida, em Canaã. Fizeram com Javé uma Aliança.
A obediência aos mandamentos era a forma concreta de serem fiéis a Javé, o Libertador (Dt 5, 6-21; 6, 20-23).

1100 a.C. : TRIBOS –TERRA, IGUALDADE E JUSTIÇA
A entrada em Canaã não foi fácil. Os hebreus encontraram nas cidades o mesmo esquema de injustiça do Egito: impostos, violência e opressão.
O jeito foi lutar por uma nova sociedade, baseada na igualdade. Os hebreus se aliaram aos diversos grupos que resistiam contra a opressão em Canaã (Js 2,3-6). Buscaram sua força em Javé, o Deus do Êxodo, na luta contra os reis cananeus (Js 5,1).
Mas, os hebreus não foram fiéis ao projeto de Javé... Acabaram fazendo com os povo de Canaã o mesmo que os reis faziam antes (Jz 1,28).

1010-587 a.C.: REIS X PROFETAS
A partir do reinado de Davi os israelitas se tornaram mais fortes que os cananeus e começaram a imitar o estilo de vida deles. Esqueceram o projeto de igualdade das tribos. Recomeçaram a cobrança de impostos e os trabalhos forçados, gerando míséria.
Em Jerusalém, Salomão construi um templo a Javé, mas os profetas avisavam que Javé queria justiça e não cultos fingidos (Am 5,21-24).
Os profetas gritavam contra a infidelidade à Aliança com Javé (Am 2,6-10). Os mais conhecidos dessa época são: Elias, Eliseu, Oséias, Amós, Miquéias, Isaías, Jeremias, Sofonias.

930 a.C.: O REINO DOS ISRAELITAS SE DIVIDE
Salomão, o filho de Davi, exigiu muitos impostos do povo, principalmente do norte do país. Seu herdeiro Roboão prometeu fazer o mesmo e o norte declarou independência (1Rs 12,4.13-14.16). Formaram, então, o Reino do Norte (Israel) e o Reino do Sul (Judá).
O Reino do Norte acabou em 722 a.C., quando o império da Assíria invadiu a capital Samaria e levou o povo para o exílio.
Em Samaria, a Assíria assentou outros povos, que foram chamados samaritanos. Ainda na época de Jesus os samaritanos eram desprezados (Jo 4,9).

587-538 a.C.: EXÍLIO – ABALO NAS RAÍZES DO POVO
Em 722 a.C., a Assíria destrui o Reino do Norte porque não atendia mais suas exigências. Em 587 a.C. foi a vez do Reino do Sul. O império da Babilônia invadiu e destruiu Jerusalém. A elite foi levada para o exílio na Babilônia (2Rs 25,8-12).
Uma grande decepção tomou conta deles. Onde estavam as promessa a Abraão e o Deus poderoso do Êxodo? Javé não era fiel apenas aos israelitas?
No meio da crise, foram percebendo que Javé não era propriedade de Israel. Ele era o Criador de tudo e comandava o universo! Não existiam vários deuses, mas apenas um: Javé (Is 44,6)!
No exílio, o povo reforçou a confiança em Javé.

538-333 a.C.: A RECONSTRUÇÃO DA ALIANÇA
O império babilônio foi engolido pelo império persa em 538 a.C.. Os exilados tiveram liberdade para voltar a seu pais e recomeçar a Aliança. O império persa proibiu os judeus de ter independência política, com rei e exército, mas aprovou a reconstrução do templo.
O templo, nessa época, servia para controlar o povo e para recolher impostos. Por isso, muitos camponeses se opuseram a ele. A briga foi feia mas o projeto do templo venceu.

333-63 a.C.: O POVO DEFENDE SUA IDENTIDADE
Chegou o império grego para dominar os persa e todo o Oriente Médio. Até então, o comércio era na base da troca. Agora, entravam o dinheiro, os empréstimos, os juros e a escravidão por dívidas (Ne 5,1-5). As pessoas viraram mercadoria.
Os gregos não respeitavam a religião e a cultura dos povos dominados (1Mac 1,41.50). Os judeus resistiram a isso, pois sabem que perder a memória do Êxodo e de Javé seria perder para sempre a possibilidade de libertação (1Mac 2,27-30). Agarraram-se à tradição religiosa e foram à luta.
Os Macabeus lideraram uma grande luta pela identidade do povo. A guerrilha durou mais de 20 anos. E o grande império grego foi vencido!

63 a.C. a 135 d.C.: A RESISTÊNCIA FINAL
Roma era o novo império que chegava para dominar todo o mundo conhecido da época. Nesse tempo, Canaã passou a ser conhecida pelo nome de Palestina.
A dominação romana foi a última dos tempos da Bíblia. A resistência do povo foi tão grande que os romanos acabaram destruindo tudo novamente e dispersando o povo judeu pelos quatro cantos do mundo. Nesse período, porém, nasceu Jesus...
Fonte: Folheto Ecoando 4 - formação interativa com catequistas - Editora Paulus

Um comentário:

tata disse...

muito interressante