Ajude a manter o blog. Faça sua contribuição de qualquer valor clicando no botão abaixo.

PALESTRAS E ENCONTROS

Sua paróquia ou sua comunidade precisa de formação, fale com seu pároco e entre em contato pelo e-mail: carloscasabela@hotmail.com .



sexta-feira, 28 de novembro de 2008

VOCABULÁRIO BÁSICO DO CATEQUISTA - LETRA M


O objetivo deste vocabulário é oferecer explicações mais simples de palavras religiosas mais comuns, necessárias para o conhecimento e formação dos catequistas.


MAÇÃ – Popularmente associada ao pecado de Adão e Eva. Na verdade, a Bíblia não fala em maçã. Em Gn 3 aparece uma fruta, sem determinar qual. A maçã talvez tenha entrado na história porque durante séculos os cristãos falavam a língua latina. A palavra mal, em latim é malum, assim como maçã, em latim também é malum.
MAÇONARIA – Organização secreta, hoje espalhada por todo mundo. Nasceu como associação de pedreiros ingleses, no século XII. Era de caráter religioso, com princípios de fraternidade na própria organização. Seus membros são reconhecidos entre si por sinais e emblemas: avental, compasso e esquadro. No século XVIII, adotou uma orientação cultural, seguidora do pensamento do iluminismo e da política da elite influente, contrários às verdades cristãs. As lojas maçônicas (lugares de reuniões dos maçons) têm atitudes e posturas ideológicas diferentes umas das outras. Possuem um chefe, chamado de venerável ou grão mestre.
MACUMBA – Serve para designar diversas práticas religiosas que integram cultos de origem africana, católicos e espíritas kardecistas, (sincretismo) desdobrados em abundantes manifestações folclóricas: ervas, incenso, velas, cantos, danças e ritos com elementos mágicos e espirituais. A macumba recebe diferentes nomes: na Bahia, candomblé; no Rio de Janeiro, onde há mais de 60 mil templos de macumba, chama-se umbanda. Em todo Brasil há mais de 40 milhões de pessoas de diferentes classes sociais que estão relacionadas a este tipo de crença.
MAGISTÉRIO – É o ensinamento da Doutrina da Igreja pelo Papa e pelos Bispos, sucessores dos Apóstolos. É a interpretação autêntica da Tradição e das Escrituras.
MAGNIFICAT – Canto da Virgem Maria por ocasião da visita a sua prima Isabel (Lc 1,46-55). Esse canto tem analogia com o canto de Ana, mãe de Samuel (cf. 1Sm 2,1-10) e com outras passagens bíblicas.
MAGOS – Originalmente era o nome de uma tribo da Pérsia formada por sacerdotes que se dedicavam à astrologia. Daí o nome ser aplicado a adivinhos ou sábios. Mt 2,1-12 apresenta os magos como sábios vindos de fora do povo judeu.
MALDIÇÃO – Gesto religioso e mágico que provoca a desgraça a alguém. É o inverso de benção (Mt 25,41; Jo 7,49). A maldição e sua eficácia apóiam-se na força da palavra. No NT Jesus Cristo aparece como vencedor da maldição do pecado (Rm 8,1; 2Cor 5,21). O cristão não pode amaldiçoar os que o amaldiçoam (Lc 6,28).
MANÁ – Alimento dado por Deus ao povo de Israel no deserto (Ex 16). Jesus apresenta-se como verdadeiro alimento espiritual, superior ao maná, que procede do Pai e nos conduz à vida eterna (Jo 6,31-49).
MANDAMENTOS – ou Decálogo são os princípios que exercem grande influência na vida religiosa e moral da humanidade. Encontram-se na Bíblia no Ex 20,2-14; e no Dt 5,6-21. Trata-se da lei natural e manifestação da vontade de Deus, baseada no compromisso da Aliança que Deus fez com seu povo.
MANTRA – Som simbólico que provoca uma vibração interna que ajuda a mente a concentrar-se e favorece a auto-realização. Consiste numa frase que se repete sem cessar durante largo tempo. A interiorização faz com que a mente vá se compenetrando do sentido mais profundo dos conceitos expressos com palavras.
MAOMÉ – Nasceu em Meca, na Arábia, em 570. Teve uma visão do anjo Gabriel quando meditava na gruta de Hira. Maomé acreditou-se chamado para ser o único profeta de Deus. Pregou sobre a ressurreição dos mortos e o juízo de Deus. Rapidamente muitos discípulos seguiram a sua doutrina. No ano 622, iniciou o calendário islâmico, conhecido como Hegira. A religião islâmica, as práticas religiosas e sociais fazem parte do livro do Alcorão.
MARANATA – “Vem, Senhor Jesus” em Ap 22,20 e 1Cor 16,22 – no sentido escatológico, é expressão da expectativa com que a comunidade cristã aguardava a vinda do Senhor.
MARIA – Maria é virgem e santa, Mãe de Deus e da Igreja. Esta intimamente ligada à obra salvadora e messiânica de Cristo. É o perfeito modelo de fé pela sua entrega à vontade de Deus.
MARONITAS – Católicos orientais pertencentes à Igreja Ortodoxa. Adotam, na liturgia, as línguas síria e árabe. Estão espalhados no mundo e, no Brasil, tem uma eparquia (em grego significa diocese).
MÁRTIR – Em grego significa testemunha. Na Igreja emprega-se para designar aqueles que professam a Cristo até morrer por Ele ou por sua causa.
MÉDIUM – Aquele que, em certas manifestações físicas ou intelectuais, serve de intermédio entre encarnados e desencarnados; é um espírito comunicante. Allan Kardec defende a doutrina da reencarnação que é incompatível com o cristianismo.
MEMENTO – Significa: lembrança. Na liturgia eucarística lembramos da Igreja presente no mundo inteiro, dos falecidos e dos santos e santas.
MEMORIAL – “Fazei isto em memória de mim”. Na tradição judaico cristã é mais do que uma simples lembrança. É a atualização ritual das ações de salvação de Deus em favor de seu povo. A celebração litúrgica é sempre um memorial.
MESQUITA – Templo no qual os muçulmanos celebram seu culto comunitário. Sua construção é quadrangular, tendo no centro um pátio, com uma fonte ou piscina destinada às abluções rituais (rituais de purificação por meio da água, praticado em várias religiões). Nas paredes do templo estão gravadas algumas inscrições do Alcorão. A primeira mesquita foi edificada por Maomé. A partir do ano 629, as orações são voltadas para Meca.
MESSIANISMO – termo Messias deu origem ao messianismo. Aponta o desejo de salvação ou de libertação coletiva por parte de um salvador forte e poderoso que liberte os homens dos males que os afligem.
MESSIAS – Em hebraico significa ungido. Aplica-se ao sumo sacerdote, ao rei, aos patriarcas com suas famílias, designando um futuro salvador para restaurar o Reino de Deus. A comunidade cristã vê em Jesus de Nazaré o ungido, o Messias esperado, o Cristo.
METANÓIA – Significa mudança de vida, conversão, arrependimento interior dos pecados e, ao mesmo tempo, uma atitude externa visível da volta para Deus e inicio de uma nova vida.
MILAGRE – Ato de Deus ou ação realizada pelo poder de Deus, chamado também sinal. A catequese deve apresentar os milagres de Jesus não isoladamente, mas como provas da missão de Jesus e da realização da chegada do Reino de Deus entre nós.
MINISTÉRIO – Em sentido religioso, é um serviço na comunidade e para a comunidade. Há ministros “ordenados” que receberam o Sacramento da ordem como os bispos, sacerdotes e diáconos com a missão de anunciar a Palavra de Deus, presidir às Celebrações e animar a comunidade. Há ministros não ordenados exercidos pelos cristãos leigos e leigas que, com os mais diversos dons e carismas, enriquecem a vida da Igreja.
MIRRA – liquido de certa planta com perfume agradável; era usado como presente, remédio e para preparar ou perfumar os corpos para os enterros (Ct 3,6; Mt 2,11; Mc 15,23; Jo 12,7).
MISSA – Ver Eucaristia.
MISSÃO – Missio=”Mandar”. Ato de enviar uma pessoa para cumprir um encargo. Na vida cristã, todo batizado deve continuar a missão de Cristo.
MISSIONÁRIO – Pregador que se consagra à evangelização, à difusão da mensagem da sua religião.
MISTAGOGIA – Iniciação ao mistério cristão realizada por instrução doutrinal; acompanhamento, experiência, vivência e participação na celebração litúrgica.
MÍSTICA – É a vivência de uma profunda espiritualidade. É a motivação proveniente da fé que dinamiza a nossa ação. Todas as religiões e/ou pessoas possuem uma mística em graus distintos, segundo a intensidade da própria união com Deus.
MITO – Em sentido religioso expressa verdades que fundamentam a origem e a realidade do ser humano.
MITRA - é um símbolo colocado na cabeça do bispo nas celebrações solenes.
MOEDAS – No tempo do NT, havia na palestina três moedas correntes: a moeda oficial romana, a moeda grega e a moeda judaica local. O dinheiro para o Templo tinha que ser pago em moeda judaica local e não em moeda romana. Por isso, a existência de muitos cambistas na porta do templo. Moedas mais comuns gregas – dracma e tetradracma (de prata); - óbolo (de pouco valor); - talento (de grande valor). Moedas romanas: - denário (de prata) que era o salário de um dia de um trabalhador; - quadrante. A moeda judaica: -siclo (de prata); - mina, moeda fenícia utilizada pelos israelitas no comércio exterior.
MONGE – Pessoa retirada da vida social cotidiana e dedicada ao silêncio, à oração e à vida comunitária.
MONOTEÍSMO – Confissão de fé e adoração de um Deus único e verdadeiro, excluindo a existência de todos os demais deuses adorados no politeísmo.
MONSENHOR – Titulo concedido a alguns presbíteros , por certas funções exercidas na Igreja.
MOON – Fong Nyung Moon apresenta-se como o verdadeiro messias tendo fundado a seita Moon, em 1945. Sua proposta é uma ideologia religiosa e política.
MÓRMONS – Formam a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias fundada por Joseph Smith, em 1830, nos Estados unidos.
MOSTEIRO – ou Abadia. Casa onde vivem os monges, religiosos contemplativos, sob a direção de um abade.
MOVIMENTOS – são organizações sistemáticas de cristãos leigos para a realização de uma atividade determinada na vida da Igreja. Surgiram e se desenvolveram no início do século XX, tais como: Ação Católica, Cursilhos de Cristandade, TLC, RCC e outros.

MUÇULMANO – ou Maometismo, seguidor do islamismo, religião fundada por Maomé. Seus adeptos adoram o mesmo Deus Pai dos judeus e cristãos, que se revelou a partir de Abraão.

Nenhum comentário: